quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

TRE publica os nomes dos novos dirigentes do PSB em Minas

Foi publicada, no site do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), a nova composição da Comissão Provisória do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em Minas Gerais, presidida pelo prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda. A indicação dos novos dirigentes do partido em Minas à Justiça Eleitoral foi feita pelo presidente nacional do PSB, o governador Eduardo Campos (PE), na semana passada. 
O JORNAL DE UBERABA divulgou na semana passada a nova composição, que conta com o nome do vereador e deputado estadual diplomado Antônio dos Reis Gonçalves Lerin, que será secretário especial do PSB. 

Diretório estadual - A Comissão Provisória será composta, ainda, pelo vice-presidente, Walfrido dos Mares Guia, o primeiro secretário, Júlio Delgado; o secretário de Organização, Wander Borges; o secretário-geral, Mário Assad Júnior e o tesoureiro, Wallace Ventura. 
Dados de novembro de 2010 disponíveis no portal do TSE apontam que o PSB tem 34.240 eleitores filiados em Minas, na 12ª posição no número de filiações no Estado. O ranking regional é liderado pelo PMDB, com 210.039 eleitores (14% do total de filiados em Minas). (MGS)

sábado, 11 de dezembro de 2010

ONDE FORAM PARAR OS SOCIALISTAS?

Ao
Exmo. Sr.
Presidente Nacional do PSB
Governador do Estado de Pernambuco
D.D. Eduardo Campos



           Companheiro,

ONDE FORAM PARAR OS SOCIALISTAS?

Quando iniciei minha militância na política me definia como sendo um ativista de esquerda e carregava comigo três leis fundamentais e sagradas que norteavam meus raciocínios. A primeira era acabar com a propriedade: “nada na sociedade pertenceria exclusivamente, nem singularmente, a ninguém”. A segunda estabelecia um sistema geral de assistência: “todo cidadão seria homem público, mantido, sustentado e ocupado às expensas do público”. A terceira lei fundamental estabelecia um sistema de associação e cooperação: ”todo cidadão contribuirá de sua parte para a utilidade pública, segundo seu talento, sua idade, suas forças e etc.”

Eram sobre esses três pontos que se regulamentariam seus deveres de acordo com as leis naturais. Essas três leis fundamentais seriam imutáveis. Em compensação as leis distributivas e econômicas seriam suscetíveis de serem adaptadas às circunstancias.

Pensava que o socialismo tratava-se, sempre, de abolir o estado e o dinheiro, de fazer desaparecer a distinção entre o público e o privado, de suprimir a divisão da sociedade em classes sociais, de eliminar o trabalho parcelar, ou a oposição cidade/campo. 

Era por esse pensamento que costumávamos distinguir os socialistas dos capitalistas.

Tenho consciência que qualquer ideologia política, mesmo a mais realista, mesmo a mais “cientifica”, comporta sua parte de utopia, pelo simples fato de constituir a projeção de um ideal não concretizado. Mas a utopia é, e sempre foi, um importante instrumento do processo político, ainda que para apenas estabelecer o marco divisor entre o possível e o ideal.

Então porque os socialistas declarados, como nós, não defendemos abertamente essas idéias?

Talvez o grande erro dos socialistas esteja no fato de propor um modelo de sociedade socialista e não sermos capazes de explicar que caminho nos levaria a ela, em particular, os primeiros metros.

Convencidos de ser os donos da verdade acreditávamos que podíamos modificar o sistema apenas pela força persuasiva dessas idéias, ante as quais o conjunto da sociedade, pasmo, é convidado a inclinar-se, ou pelo contagio do exemplo, propagar-se e dominar pouco a pouco, a totalidade do corpo social.

Pode-se dizer que nisso reside a gênese da utopia.

Companheiro,

Mudaram o conceito de socialismo e se esqueceram de nos avisar? Existem novos autores de uma espécie de “socialismo contemporâneo” que ainda não li? Ou a sociedade não nos aceita mais como “somos/éramos” e tivemos que mudar em função dela?

Aqui na base ficou muito difícil se definir politicamente. Mas, uma coisa posso afirmar com segurança: com a expansão do pragmatismo na “política fisiologista” e na “vida consumista” essa tal de utopia ta fazendo uma falta danada.  


Contagem, 08 de dezembro de 2010.



WELLINGTON SILVEIRA
Secretário de Juventude
PSB-MG

terça-feira, 27 de julho de 2010

TSE disponibiliza link para consulta ao registro de candidatos para as eleições 2010

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), através de seu site, permite que eleitores pesquisem candidatos a cargos eletivos nas eleições de 2010.
O site possibilita consultas às declaração de bens, atestados judiciais como por exemplo de bons antecedentes criminais, informações pessoais dos candidatos, acompanhamento processual do candidato em seu registro de candidatura e dados de eleições anteriores,
Para acessar o sistema de divulgação de registro de candidaturas click no linnk abaixo:
http://divulgacand2010.tse.jus.br/divulgacand2010/

Alexandre Lamounier
Secretário Comunicação JSB MG

PSB apresenta seus candidatos a deputado Estadual e Federal em Minas

Em quem votar em 2010 em Minas gerais? O Partido Socialista brasileiro em Minas Gerais, através da JSB MG - Juventude Socialista Brasileira apresenta seus candidatos a Deputado Estadual e Deputado Federal:

CANDIDATOS A DEPUTADO ESTADUAL
ADELAINE FREITAS 40456
ADEMIR PEREIRA 40740
LAMOUNIER 40333
LERIN 40696
ARMANDO COSTA 40190
BELMIRO 40013
CARCILEI SOARES 40023
DARCIO ERSINZON 40450
PROF DOMICIO MOREIRA 40445
ELCIO TOLOBA 40672
FELIPE FERNANDO 40888
DR FERNANDO MORAES 40121
CHICO UEJO 40840
FRANGAO 40490
IARA 2010 40555
IVAYR SOALHEIRO 40646
JEFERSON FARNEZI 40789
JESUS ALVES 40321
JOSE CELSO 40250
HELENO VILELA 40120
ZE RAIZEIRO 40440
ZE URIAS 40140
JURACI SCHEFFER 40040
JUVENAL 40000
LEO BASTOS 40400
LESSANDRO GRAZIANE 40810
LIZA PRADO 40123
LUIZ FERNANDO 40221
PROFESSORA MAGALI 40022
MARCELO CARAM PESSOA 40459
MÁRIO VILAÇA 40444
MIGUEL MONTEIRO 40777
MILENE VIEIRA 40255
NILTON MORAES 40580
PAULO ANTONIETI 40345
ROMAO 40956
ROMEU QUEIROZ 40110
GARJAO 40134
PROF SANDRO COELHO 40800
SERGIO MENDES 40613
SILVANA SCHMIDT 40226
WANDER BORGES 40640
ZENILTON ALVES 40150

CANDIDATOS A DEPUTADO FEDERAL
ADAO MANGABEIRA 4060

ADEIR BATISTA 4070
ADENOR SIMOES 4045
PROF DR ANELITO DE OLIVEIRA 4075
CARLOS ALBERTO 4013
CARLOS MOTA 4099
DOMINGOS DE CASTRO 4040
ESDRAS 4023
FABIO FO 4020
FERNANDINHO LEVENHAGEN 4033
XICA 4044
VITORINO 4025
GLEIBE TERRA 4012
ISAIAS SILVESTRE 4077
IVAN DIAS GARRUCHA 4011
JAISTON MARCELO 4004
JOAO BRITO 4041
RACA CABELEIREIRO 4069
ZE CARLOS 4052
PROFESSOR JOSE LUIZ 4080
SILVESTRE ZE DA CERCA 4000
JULIO DELGADO 4050
PROF TECO 4015
LUIZ ANTONIO LOPES 4014
MARCIO BILEY 4022
MARCIO BAHIA 4010
ZOI BAD BOY O RETORNO 4006
MARCO RIOS 4088
NATAN BUENO 4007
PAULO LOPES 4030
SAULO 4037
SERGIO GONCALVES 4021
WAGNER DENTISTA 4065

Alexandre Lamounier
Secretário de Comunicação JSB MG

sexta-feira, 25 de junho de 2010

O SILÊNCIO DOS INOCENTES


É inaceitável e irreparável o que a “Direção executiva” do PSB-MG fez com seus filiados renegando a todos nós o Direito de decidirmos nosso futuro ao escolherem em reuniões as escuras o apoio a certa candidatura que nunca foi fiel aos ideais pregados pelo PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO que com essa decisão se mostra não mais que uma simples agremiação de amigos e não um instrumento de luta de um Povo cansado de não ser escutado.
É insuportável o fato de que uma legenda que tem em seu histórico a luta pela defesa do Socialismo aceite coligações com os mesmos neoliberais que deixaram nosso País a beira da falência e a sua população a beira do desespero e desamparo social e até moral, pois todos se lembram bem que somente a elite brasileira sorria durante os longos e tortuosos anos de governos dos Tucanos.
Lutamos e conseguimos superar isso ao lado do Presidente Lula e agora simplesmente em uma atitude calhorda a “Direção executiva” do PSB-MG se nega a caminhar ao lado daqueles que devolveram ao POVO o direito de sorrir e ser feliz em troca de alguns cargos no Governo do Estado que mais uma vez foram essas pessoas do PSB indicadas não pela sua militância e sim pelos mesmos calhordas que hoje jogam o nome do PSB na lama no Estado de Minas Gerais.
Ao me filiar ao PSB acreditei em seu lema que prega SOCIALISMO E LIBERDADE ou SOCIALISMO E DEMOCRACIA  com esta decisão digo que me enganei ao me encantar pelo lema do Partido pois o que vejo por parte dessa ‘Direção” é a TOTAL AUSÊNCIA do SOCIALISMO E  DA DEMOCRACIA ideais pregados em sua Bandeira.
Ainda assim Clamo a Todos aqueles que assim como eu sente-se indignados, enganados, injustiçados e humilhados a se manifestarem Contra a privatização da Política feita por aqueles que se julgam a “Direçãodo PSB-MG no dia 27 de junho de 10 para que assim possamos decidir o nosso futuro pois o PSB-MG NÃO PERTENÇE A MEIA DÚZIA QUE SE DIZ A “DIREÇÃO” DO PARTIDO E SIM AOS SEUS MILITANTES AGUERRIDOS E FILIADOS!

Raoni Luan Silva Miranda
Secretário Geral JSB MG

quinta-feira, 24 de junho de 2010

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CEGUEIRA (*)

Um velho barbudo - autor de frases antológicas - sentenciou que “a história nunca se repete...”.  Em seguida, por cautela, ou por gosto da contradição, acrescentou: “quando se repete, numa primeira vez é na forma de tragédia, numa segunda vez é na forma de farsa”. 
 O Partido Socialista Brasileiro, PSB - num passado longínquo adepto do “socialismo e liberdade” -, fixou para o dia 27/06/2010, a realização de seu congresso estadual, coroamento dos congressos municipais, com objetivo de decidir sua posição nas eleições de outubro próximo.  Provavelmente, era o último dos moicanos ainda a consultara seus filiados. Entretanto, num gesto patético, a Direção Executiva Provisória, sem jamais ter feito uma única discussão sobre o assunto, sem analisar o quadro eleitoral e político, sem fixar qualquer reivindicação, projeto ou proposta, sob pretexto de relações pessoais de amizade, optou por atropelar a democracia e privatizou a política. Decidiu, pelo voto da maioria, “indicar apoio” à uma das candidaturas.  Sem entrar no mérito da escolha, declarei, e reafirmo, minha total discordância com este método. E que erra no método erra no essencial.
Erro lamentável, pelo exercício arrogante da política. Reproduz uma prática velha como o Egito (e seus faraós): a idéia de que “os de baixo” não teem condições de decidir seu destino; que cabe “aos de cima” pensar e decidir pelo povo, e ao povo cabe obedecer ao que foi decidido. O resto é bagunça e perda de tempo.  Sendo verdade que “o erro é a mãe do acerto”, eis, então, uma reafirmação das razões de Freud: complexo de Édipo, fixação no seio da mãe! ...(?).
Assim, o Partido Socialista Brasileiro imita a arte dos nossos tempos: repete os hábitos e costumes políticos da época. E, nestes “tempos enfumaçados, nem mesmo se deixa confundir com a tragédia. Mas diz a sabedoria popular: “onde tem fumaça tem fogo”.
Expresso aos companheiros, filiados e militantes do Partido Socialista Brasileiro de MG, meus sentimentos de profunda consternação por esta perda irreparável: em 25 anos de existência o PSB-MG nunca havia matado a opinião de seus filiados. Morreu.  Ainda assim, façamos os congressos municipais, não se deixem levar pela melancolia. “Sei lá! não sei não...”.
Belo Horizonte 18 de junho de 2010.
WALDO SILVA - Vice Presidente da Comissão Diretora Provisória do PSB-MG
(*) Tributo a José Saramago, autor de um “Ensaio sobre a Cegueira”, socialista libertário, cuja vida foi uma aventura única e a morte é uma perda irreparável.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

A Cultura do Empreendedorismo e seus benefícios

O Brasil é o *terceiro país mais empreendedor do mundo e estima-se que 12% da população brasileira estejam, atualmente, atuando como empreendedores, cerca de 14,6 milhões de indivíduos. Importante: Do continente de 12% de empreendedores, 8% são empreendedores por oportunidade e 4% são empreendedores por necessidade, formando uma razão de dois por um. Dentre os empreendimentos iniciais, o perfil do empreendedor é do sexo masculino, de 25 a 34 anos, que ganhava, antes de se tornar um empreendedor, cerca de 3 salários mínimos por mês e possui de 5 a 11 anos de estudo.

O que eu quero chamar a atenção é para o potencial empreendedor de nosso povo e o potencial de crescimento econômico e social que agrega à nossa sociedade. Uma população empreendedora contribui substancialmente para o desenvolvimento de uma localidade, gerando emprego, renda e novas empresas.

A falta de políticas públicas e incentivos dos governos ao empreendedorismo asfixia um crescimento potencial e diversificado. Uma cultura empreendedora traz para uma cidade, ou para uma comunidade, progresso, elevação do nível de renda e educação e a cultura da inovação.

O empreendedor busca informação para crescer, especialização específica na área em que atua e na área de gestão. O empreendedorismo é uma cultura de crescimento em todos os sentidos e para o empreendedor exercer sua atividade, assume riscos, identifica oportunidades, busca conhecimento, organização e idenpendência; toma decisões, mostra liderança, dinamismo, otimismo, planejamento, plano de negócios e acima de tudo, instinto empresarial.

O empreendedorismo é uma revolução silenciosa; o empreendedor se destaca não só pela falta de emprego; esse fator contribui, aumenta o número de pessoas disposta a empreender, mas pela necessidade própria do empreendedor de crescer e se dar bem economicamente somado a uma oportunidade identificada no mercado.

O empreendedor é a tração da economia, provoca mudanças profundas. O segredo do desenvolvimento do empreendedorismo está na disseminação da cultura empreendedora. As pessoas não nascem empreendedoras, mas desenvolve esse dom ao longo de sua vida, de sua carreira profissional, preparando-se para o risco de um novo desafio. O empreendedorismo desenvolve-se como um fenômeno cultural ligado ao desenvolvimento da educação, capaz de “alavancar” a criação de micro e pequenas empresas para o crescimento de uma localidade ou região.

*Fonte: Última pesquisa realizada pelo Global Entrepreneuship Monitor (GEM), publicada em 2009.

ALEXANDRE LAMOUNIER
Sec. Comunicação JSB MG
www.alexandrelamounier.com.br

segunda-feira, 10 de maio de 2010

PCdoB, do 'fenômeno' Manuela, apoia PSB e favorece Dilma no RS


Flavia Bemfica: Direto de Porto Alegre(portal Terra)

No Rio Grande do Sul, a deputada federal Manuela D'Ávila é considerada um fenômeno eleitoral. Integrante do PCdoB, partido que é rejeitado por uma parcela significativa da população e sobre o qual se construíram visões pouco elogiosas, ela foi recordista de votos para a Câmara dos Deputados no Estado nas eleições de 2006.

Escolhida por 271.939 eleitores, Manuela deixou para trás nomes com uma carreira política consolidada em todos os demais partidos. Aos 25 anos, ela chegou à Câmara Federal diretamente de um mandato na Câmara Municipal de Porto Alegre, sem passar pela Assembleia Legislativa.

Nas eleições municipais de 2008, Manuela, encabeçando uma chapa composta ainda pelo PSB, o PPS e os nanicos PTN, PMN, PTdoB e PR, disputou a prefeitura de Porto Alegre. Não chegou ao segundo turno, mas assustou os dois principais candidatos: a deputada federal Maria do Rosário (PT) e o hoje pré-candidato ao governo do Estado pelo PMDB, José Fogaça, que venceu aquela eleição.

As votações de Manuela e sua capacidade de diálogo com partidos de diferentes matizes ideológicos fizeram com que parte do PT gaúcho sonhasse com seu nome na chapa majoritária das eleições no Estado em 2010. A pretensão esbarrou em um impedimento constitucional: de que os candidatos a governador e vice tenham no mínimo 30 anos e, os postulantes ao Senado, 35.

Alianças
Manuela completará 30 anos em 2011. E não deverá acompanhar os petistas no primeiro turno da eleição estadual. O PCdoB do Rio Grande do Sul fechou apoio à pré-candidatura de Dilma Rousseff (PT) à presidência da República. Mas, na última sexta-feira (7), o PCdoB decidiu que, no Estado, vão apostar na pré-candidatura do deputado federal Beto Albuquerque (PSB) ao governo. Beto ainda precisa agregar outras siglas para consolidar a candidatura: ou vários nanicos ou um partido grande, como o PP ou o PTB.

No Rio Grande do Sul, o PTB lançou um pré-candidato, o deputado estadual Luis Augusto Lara, e fechou coligação com o DEM. As investigações sobre a morte do ex-secretário de Saúde de Porto Alegre, o petebista Eliseu Santos, assassinado em fevereiro deste ano, porém, não têm ajudado o desempenho da sigla. E o PTB já começa a ter de desmentir boatos de que a pré-candidatura ao governo será retirada.

Mais do que fortalecer a candidatura de Beto, a decisão do PCdoB consolida a formação do segundo palanque de Dilma no Rio Grande do Sul. Só que deixa mais isolada a pré-candidatura de Tarso Genro (PT) ao governo estadual. Os petistas pretendiam reeditar a antiga Frente Popular que, no passado, reuniu em eleições PT, PSB e PCdoB.

Sobre o apoio ao PSB e as chances de palanque da petista Dilma Rousseff no Estado gaúcho, a deputada federal Manuela D'Ávila concedeu a seguinte entrevista ao Terra:

Terra: Por que o PCdoB decidiu reafirmar seu apoio à pré-candidatura de Beto Albuquerque (PSB) neste momento?
Manuela: Estamos construindo a candidatura do Beto há mais de um ano. Porque acreditamos no projeto, que é um projeto de reinserção do Rio Grande do Sul em um projeto de país.

Terra: Não havia uma tendência do PCdoB em apoiar a pré-candidatura de Tarso Genro (PT)?
Manuela: Na verdade o que aconteceu foi que pessoas de fora do PCdoB passaram a deduzir que a candidatura do PSB seria inviável. O que o PCdoB decidiu foi que daria palanque para Dilma Rousseff no Estado. O quadro eleitoral é um tabuleiro de xadrez. E, nele, há dois fatos que reforçam nossa posição: o primeiro é a ideia do Beto de manter a candidatura e o segundo é que PSB e PCdoB estão juntos no palanque da Dilma.

Terra: A aliança PSB/PCdoB pode comportar o PP?
Manuela: O PP tem os seus diálogos para fazer. Eles já estão participando de conversas com a ex-ministra Dilma. O que nós queremos é estabelecer o nosso tempo. E o nosso tempo (PSB/PCdoB) é 20 de maio. Definimos este prazo para fecharmos nossa chapa aqui no Estado. Se o PP vier a apoiar o PSB, será um elemento novo, e aí haverá vários aspectos a serem analisados.

Terra: O apoio do PCdoB ao PSB está relacionado às negociações nacionais entre PT e PSB que ocorrem após a retirada do nome de Ciro Gomes (PSB) da disputa à presidência da República, e que incluem o reforço de candidaturas socialistas em alguns estados?
Manuela: Esta informação do PSB e do Ciro não tem nada a ver com o PCdoB. Existem três relações distintas. Mas essa triangulação não fecha, porque não há espaço para ela. Não há como pensar que o PCdoB toma uma decisão no Rio Grande do Sul em função de conversas do PT com o PSB. Nossa relação é autônoma e desde sempre falamos na candidatura do Beto. Depois, que estávamos com a Dilma. E o PSB também estará.

Terra: Mas o fortalecimento da candidatura socialista no Rio Grande do Sul resulta em um segundo palanque para Dilma no Estado, uma vez que o PMDB ameaça não dar espaço para a candidatura presidencial petista.
Manuela: Do ponto de vista de palanque, a Dilma está melhor situada no Rio Grande do Sul. Estamos empenhados na construção do palanque dela. Além do nosso, ela tem um palanque muito bom, consolidado, que o palanque do Tarso Genro. O que estamos discutindo já é a construção do terceiro e do quarto palanques, que podem ser os do PMDB e do PTB.

Terra: O PTB está aliado ao DEM, que apoia Serra.
Manuela: Estou falando do PTB especificamente. No Rio Grande do Sul quem está mais preocupado com palanque é o Serra, que foge de seu palanque regional, que é o da candidatura do PSDB. O Serra veio nesta semana ao Estado e fugiu da governadora (Yeda Crusius, do PSDB, pré-candidata à reeleição).

Terra: Existe a possibilidade de o PCdoB ainda alterar sua posição no Rio Grande do Sul e, quando chegar à convenção, decidir pelo apoio à candidatura do PT ao governo do Estado?
Manuela: Eu acho muito difícil.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

VOZES DE MINAS – ACLAMANDO POR UM PSB MAIOR E MELHOR

Existe no Brasil um grande movimento em torno da candidatura de Ciro Gomes a presidente. Nós da juventude ficamos eufóricos com uma candidatura a presidente, sedentos para mostrar um PSB socialista, um partido ético, que caminha para o crescimento e figurando entre os grandes partidos do Brasil, mas com um cresimento qualitativo.

Sou pré-candidato a Deputado Estadual por meu estado e assim como eu, todos os pré-candidatos ficam vislumbrando uma candidatura própria pelo partido a fim de conquistar o crescimento e a eleição no maior número de deputados estaduais e federais em Minas.

Convido todos os socialistas a pensar no PSB em todo o Brasil, com a juventude, as mulheres, os sindicalistas, o movimento negro, todos os seguimentos que erguem nosso partido em todo o Brasil. Precisamos pensar que temos o PSB no Acre, no Amapá, no Rio Grande do Sul em Pernambuco e em todos os estados do Brasil.

Temos hoje Governadores e candidatos ao governo não só em estados do Nordeste. Assim como Mato Grosso, Beto Albuquerque tentando se fortalecer no Rio Grande do Sul e Casagrande de projetando no Espírito Santo, temos também estados se debatendo em busca de força a fim de evitar se contrair após as eleições 2010 e até o PSB em crise de identidade buscando se encontrar.

Estamos em uma situação em que uma candidatura ao Governo de Minas é improvável, sem a presença de um nome que ocupe essa frente e provavelmente órfão de um candidato a presidente. Tilden Santiago luta para decolar sua pré-candidatura ao senado e a força de uma candidatura majoritária poderia ser muito benéfica a todos nós.

Um candidato a presidente pelo partido não é a única saída para o sonho, seria uma vantagem e tanto, mas vamos torcer para que a decisão que for tomada seja feita baseada nas vozes da base, com o consentimento do PSB no Brasil inteiro e fazer valer nosso grito: DE NORTE A SUL E NO BRASIL INTEIRO, SOMOS DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO!

ALEXANDRE LAMOUNIER
Secretário de Comunicação JSB MG
Pré-Candidato a Deputado Estadual

segunda-feira, 19 de abril de 2010

MEIO AMBIENTE: NOSSA SITUAÇÃO É CRÍTICA!!!

"Do que adianta projetos mirabolantes para contribuição de um planeta mais limpo e uma humanidade melhor , se na prática fazemos tudo ao contrário".-(Diego Landim)"


Sob o domínio do capitalismo, a Humanidade vem estabelecendo um relacionamento degradativo do nosso eco sistema. O nosso planeta já mostra sinais visíveis de um verdadeiro desastre Ambiental. Será que esse quadro é reversível? Não temos certeza, já que nunca nos deparamos com essa situação antes, mas sem dúvida alguma podemos nos preparar para o pior.

Hoje o nosso planeta tem cerca de 6 bilhões de habitantes nos próximos 100 anos é bem provável que exista menos da metade.

É pessoal, durante anos todos os esforços da humanidade foi para construir uma econômia sólida, unificada, globalizada. Conseguimos!!Hoje o sistema financeiro do nosso planeta é totalmete interligado, por menor que seja as perdas em uma determinada econômia é sentida em todo o mercado financeiro. Parabéns aos Capitalistas desumanos e pobres de espirito, que devido a sua ganância e arrogância construiram esse cenário de miséria, desastre e fome pelo mundo.

A Africa hoje é o continente mais pobre e "Desgraçado" do mundo, um dia já foi o continente mais rico em recursos naturais. Se continuarmos nesse processo capitalista e ganâncioso, prepare-se o Brasil será igual ou pior que a África.

Mas hoje vos chamo a atenção para um fato. Se hoje nos quizermos reverter essa tendência autodestrutiva, a nossa humanidade precisa adotar um quanto antes uma politica SOCIALISTA e HUMANITÁRIA, para que possamos ser menos agressivo ao nosso meio ambiente e a uma econômia mais responsável. Não temos o luxo de ter o direito a escolha! A natureza está nos impondo essa questão, ou damos Início a um Socialismo Ecológico e sustentável,dando assim um ponto final neste capitalismo cruel, desumano e Irresponsável, ou , meus amigos e minhas amigas o Fim estará mais Próximo do que nós podemos imaginar"!!
" O fim do Mundo não virá como ladrão, já dar pra perceber isto, a humanidade caminha para o fim com as próprias pernas e pior sabemos disso e só aceleramos ainda mais o processo".-(Diego Landim)

Raphael Carlos Gomes
Sec. Meio Ambiente JSB MG

A GUERRA CONTRA O ROUBO DE CARGAS


Na última quarta-feira (14) liderados por Domingos de Castro (PSB-MG) estiveram em Brasília-DF representantes da Federação das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais – FETCEMG e da Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Minas Gerais – FETTROMINAS que acompanhados pelo ex. Embaixador do Brasil em Cuba, Tilden Santiago(PSB-MG) apresentaram ao Senador Renato Casagrande (PSB-ES) proposta de alteração da legislação vigente no que ele dispõe sobre assalto a motoristas do transporte rodoviário de cargas.


O roubo à veículo de carga além de ceifar vidas causa dano ao patrimônio da empresa, ao proprietário da carga e do veículo, lesa toda a sociedade, posto que, mediante maior implementação de medida de gestão de risco pelas transportadoras, o custo é repassado para o destinatário final, o consumidor, havendo até mesmo segregação de cargas e de rota pelas seguradoras que não mais aceitam o risco de segurar veículo e carga.

A proposta consiste em elevar o roubo de carga a condição de crime hediondo, tendo em vista melhorar a segurança dos trabalhadores, a fluidez do transporte rodoviário de cargas, visando a coibir a prática de condutas criminosas e preservar, acima de tudo, a vida e a integridade física e psicológica dos trabalhadores da categoria.

Ao entregar a minuta ao Senador Casagrande, Domingos de Castro destacou que é muito alta a incidência de roubo a veículo de carga em todo o território nacional, com gravíssimas conseqüências sócioeconômicas, especialmente para aqueles diretamente envolvidos na operação de transporte como motoristas e ajudantes que não raras vezes se vêm em situação de cárcere privado, ameaçados de morte, abandonados à própria sorte amarrados em postes e cercas ou arvores embrenhados em matas, tendo-se notícia até mesmo de alguns deles serem encontrados pendurados de cabeça para baixo por horas seguidas até serem encontrados em condições de desespero e de maus tratos.

Renato Casagrande lembrou que o serviço de transporte de carga é importante componente da infraestrutura do país, considerando sua relevância para o desenvolvimento econômico, financeiro, posto que proporciona a circulação de mercadorias em todas as fases da cadeia produtiva (desde a extração, produção/industrialização, até a entrega do bem ao destinatário final), diminuindo distâncias e proporcionando integração de todas as regiões do país. É, por excelência, o modal mais utilizado pelo Brasil, constituindo-se em 65% (sessenta e cinco por cento) de todo o transporte nacional considerando-se todos os modais existentes.

O senador parabenizou os empresários e os trabalhadores pela iniciativa e se comprometeu de ainda essa semana submeter a proposta a apreciação da Assessoria Legislativa do Senado Federal afim de que ela se torne o mais breve possível projeto de lei.

Apesar deste importante passo, Renato Correia, diretor da FETTROMINAS, que deixou o encontro otimista, acredita que a categoria precisa avançar muito mais.

Logo o projeto começa a tramitar no Congresso Nacional. Resta, agora, acompanhar os próximos passos desta história.

terça-feira, 13 de abril de 2010

PELO FIM DO SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO. EM DEFESA DO SERVIÇO CIVIL.

Se existe algo que deve morrer de velhice no Brasil é o serviço militar obrigatório. Para que fingir que continua ser necessário forçar rapazes acima de 18 anos a se alistar no Exército? Em vez do serviço militar, rapazes e moças deveriam dedicar um ano de suas vidas para servir à comunidade. Os filhos da classe média e da elite aprenderiam mais sobre o Brasil real se entrassem no mundo das crianças que nascem com pouco ou quase nada. Se fossem convocados a compartilhar o que sabem com o rodapé da pirâmide social.
Pela lei atual, até o brasileiro que mora fora do país é obrigado a se alistar. Claro que há muitos jeitinhos para evitar os doze meses no quartel. Só se ingressa no exército hoje quem deseja seguir carreira nas Forças Armadas ou quem precisa ganhar um salário mínimo como recruta. Os universitários costumam conseguir dispensa. Muitos se formam sem ter a menor idéia de como se equilibra na linha da pobreza a massa de Brasileiros.

É impressionante como a sociedade brasileira não oferece oportunidades de convivência entre cidadãos de diferentes camadas socioeconômicas. A sociedade vem se transformando em uma ilusão onde as pessoas se esbarram apenas. Há um apartheid social entre ricos e pobres.

Poucos jovens carentes chegam às concorridas universidades públicas gratuitas, e as particulares são proibitivamente caras. Recentemente assisti a uma entrevista de um ex. professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) por 16 anos. A cada ano ele se perguntava de onde vinham seus alunos: “só tive dois que haviam estudado em colégio público municipal, embora a rede municipal do Rio tenha mais de 800 mil alunos”. Disse ele.

Nas grandes cidades, a cultura dos condomínios cria uma juventude que se apega a privilégios e costuma sentir medo ou desprezo por pobres. Jovens de classe média alta só trabalham como garçons, garçonetes, babás ou domésticas quando vão para o exterior fazer intercâmbio. Os pais mandam pimpolhos para os Estados Unidos, Europa... Vão estudar idiomas e, muitas vezes lavar pratos. Faz parte do aprendizado de vida e do amadurecimento. No Brasil jamais fariam isso, e não só por vergonha de servir aos seus iguais, mas a mesada tropical é polpuda e o que se ganha aqui nesse tipo de serviço é muito menos do que lá fora. Além disso, no Brasil eles têm domésticas que recolhem suas roupas espalhadas pelo chão.

O Serviço Civil obrigatório seria uma oportunidade de integração, educação, disciplina. Não existe no Brasil nenhuma alternativa real que promova o entendimento entre as classes, não se treinam o ouvido nem a compaixão, o desprendimento ou a generosidade. Jovens deveriam consagrar um tempo para o bem público, por lei, para criar bases e valores, perceber outros olhares. Por que não um estudante de Direito, no primeiro ano de faculdade, dedicar quatro horas diárias de trabalho a um balcão de atendimento de pequenas causas em favela? O estudante de Ciências Contábeis orientar famílias em pequenos empreendimentos? O estudante de Letras incentivar adolescentes a ler? São tantos universitários financiados pelo povo brasileiro. Porque não retribuir a sociedade durante um ano?

O presidente Lula chegou a propor, em setembro de 2008, o Serviço Social Obrigatório para homens dispensados do serviço militar e para todas as mulheres brasileiras. Eles prestariam à sociedade serviços relacionados a sua formação técnica, profissional ou acadêmica. Foi engavetado.

Minha sensação é que se desperdiça o potencial de um exército de jovens inteligentes e criativos que poderiam ajudar a construir uma sociedade mais justa e menos desigual. Enquanto isso eles ficam sonhando em sair do Brasil sem sequer chegar a entender o país em que nasceram. Nem aprendem a dar bom dia ou agradecer por um serviço prestado.

Deveríamos acabar com a obrigatoriedade do serviço militar, que tem um século de vida. É um anacronismo num país de tradição e cultura pacifista. O que o Brasil necessita é educar direito seus filhos.

WELLINGTON SILVEIRA

Secretário de Juventude
PSB-MG

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Ciro Gomes: "Está na hora do PSB pensar grande"

Em artigo postado hoje (07/04) no site do mandato parlamentar (www.cirogomes.com), o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), pré-candidato à Presidência da República, afirma que as eleições deste ano são uma oportunidade de ouro "para o PSB pensar grande e disputar um lugar entre os quatro principais partidos do país", ajudando a mudar para melhor o país "e a colocar gente decente e honesta na Presidência, nos governos estaduais e nos legislativos estaduais e federal".


Para ele, não se trata de pretensão ou fantasia, mas de uma façanha que certamente vai requerer ousadia do seu partido. "Como um adolescente que está se tornando adulto, é a hora de decidir se quer ser gente grande ou continuar pequeno, dependente de outros partidos, que, por mais aliados que sejam, não são o PSB", analisa. Em sua reflexão, Ciro Gomes acredita que "está na hora de decidir se vamos alimentar a estrutura e a estratégia dos nossos aliados, ou se vamos exercer a opção que a democracia nos apresenta de concorrer com candidatos em todas as instâncias de poder no primeiro turno da eleição. Decidir se nos mostramos ao Brasil como uma força nova, coesa, com discurso afinado e gente decente disposta a melhorar o Brasil, ou se seremos apenas mais um dos partidos que se acotovelam em alianças pautadas pela mera distribuição de cargos e favores".

O deputado vai além, afirmando que uma candidatura própria do PSB tem um papel importante a cumprir, "que é forçar os demais candidatos a discutirem o futuro do Brasil, com projetos claros, viáveis e inovadores". E diz não achar correto com o povo brasileiro "reduzir o debate eleitoral a uma disputa entre a turma do Lula - na qual me incluo - e a turma do FHC", uma vez que os problemas do Brasil são muito maiores e mais profundos do que um simples duelo entre PT e PSDB. "Se eles não quiserem debater o Brasil, o PSB o fará, apresentando um projeto de desenvolvimento para o país. Acredito nos que insistem e isso me aproxima muito do Presidente Lula, um exemplo vivo e atual de que a persistência no final vence".

No artigo, Ciro Gomes defende a tese de que time que não joga não forma torcida, mesmo que perca de goleada. Para ele, o futebol está cheio de exemplos: "Equipes hoje grandes tiveram inícios medonhos. Times hoje consagrados tiveram fases terríveis, como Corinthians e Botafogo, que levaram 21 anos sem títulos, mas vendo a torcida crescer apaixonadamente.

Ciro Gomes se diz convencido de que a candidatura própria do PSB à Presidência da República será muito benéfica à estratégia de levar o partido a ser grande: "Se conseguirmos 15% que seja dos votos, significam cerca de 20 milhões de eleitores acreditando na mensagem do PSB. Se tivermos a ousadia de fazer uma campanha casada em todos os níveis poderemos eleger importantes bancadas nas assembleias estaduais, na Câmara e no Senado. Já imaginaram, então, se a nossa mensagem empolgar? E se algum dos favoritos escorregar e cair? Podemos chegar até mais longe. E estamos preparados para isso".

Leia a íntegra do artigo em http://www.cirogomes.com/

Atenciosamente,

Alexandre Lamounier - http://www.alexandrelamounier.com.br/
Secretário de Comunicação JSB MG

segunda-feira, 29 de março de 2010

PRIMEIRO CONGRESSO DA JUVENTUDE SOCIALISTA BRASILEIRA BELO HORIZONTE - PSB/BH

CONVITE


Convidamos para participar de nosso Primeiro Congresso Municipal da Juventude Socialista do PSB a se realizar aos 10 dias do mês de Abril de 2010, às 8:30 horas, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, no Plenário, na Av. dos Andradas, 3.100, Bairro Santa Efigênia, Belo Horizonte/MG.

Belo horizonte, 23 de março de 2010.

Atenciosamente,


Alexandre Lamounier – PSB/BH
http://www.alexandrelamounier.com.br/
Juventude Socialista Brasileira em Belo Horizonte
Secretário de Comunicação JSB MG

quarta-feira, 24 de março de 2010

Portal da Juventude lança sua CAMPANHA NACIONAL

O Portal Juventude lança sua CAMPANHA NACIONAL cadastramento de militantes do PSB e da JSB que curtem trocar informações, além dos militantes dos outros segmentos do PSB como, Negros e Negras, Sindical, Mulheres e Movimento Popular! e demais setores sociais de atuação de nossa militância.

A idéia central é criar uma rede de informações de militantes e veículos de informação popular, formando uma grande rede de comunicadores. Acesse o http://www.portaljuventude.blogspot.com/ e FAÇA PARTE DESTA REDE!!!. Ou faça seu cadastro no link: http://migre.me/qae9



Alexandre Lamounier
Secretário de Comunicação JSB/MG
www.alexandrelamounier.com.br

segunda-feira, 22 de março de 2010

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO JSB - JUVENTUDE SOCIALISTA BRASILEIRA

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO JSB - JUVENTUDE SOCIALISTA BRASILEIRA
MINAS GERAIS

O processo de consolidação de uma democracia demanda tempo e condições. democracia brasileira, ainda recente, prescinde de uma participação mais ativa e presente de segmentos significativos da sociedade brasileira, entre estes o de sua juventude.

Uma das primeiras preocupações do regime ditatorial que fez o Brasil parar na história foi impedir que a juventude brasileira participasse do debate político. Excluíram-na pela violência, pelo arbítrio e pela intimidação. Por quê?

Porque o jovem sonha e quando sonha descobre horizontes capazes de libertá-lo e faze-lo diferente em um contexto político estático e anacrônico.

Naqueles anos, já longínquos, a mocidade brasileira tomara consciência de que não era mera coadjuvante da historia brasileira que se escrevia; conscientiza-se de que era um agente ativo das transformações que a sociedade exigia.

Impediram-na de cumprir seu papel histórico.

Hoje, quando a democracia brasileira, reconquistada pelo esforço de todos nós, é uma realidade, mas ainda tênue e relativada, pois que, condicionada a uma serie de fatores circunstanciais e históricos que a impedem de ser plena e autentica, vê-se os movimentos jovens, mais uma vez, no seu papel histórico vanguardista, estabelecendo como sua prioridade o chamamento à lide política da mocidade brasileira.

Esta é a missão a que se propõe: resgatar para a vida política a mocidade brasileira e fazê-la integrar-se nessa luta de todos nós: a edificação de uma sociedade socialista, justa e igual.

Através da JSB-MG estamos conclamando a juventude a ocupar o papel que lhe pertence, qual seja o de formar os cidadãos do futuro, responsáveis que serão pela sociedade de hoje e de amanhã.

Desejamos um Brasil que seguirá sem preconceitos, sem castas, sem privilégios, um futuro igual e humano, do qual todos nós orgulharemos.

Saudações socialistas;

WELLINGTON SILVEIRA
Secretário de Juventude
PSB-MG

Quem somos?


A JSB, Juventude Socialista Brasileira é um braço auxiliar do PSB formado por todos os jovens filiados com até trinta anos de idade que auxiliam a direção do partido na elaboração e implementação de Políticas publicas direcionadas à juventude. Busca ainda a inserção do jovem no processo político e uma maior conscientização dos problemas por eles enfrentados.

Mesmo sob grandes adversidades, a JSB desenvolve no dia-a-dia várias tarefas socialistas em todo o país, em cada frente em que atua, ou seja, nos movimentos estudantis, sindicais, comunitários, culturais etc. tais tarefas organizacionais visam acumular forças e atender as reivindicações imediatas do movimento socialista. A JSB, por não ser apenas uma juventude de ação e agitação, prioriza fundamentalmente o trabalho de formação política, pois, compreende que não é suficiente apenas "propagandiar" as bandeiras de luta, tão importante é conscientizar a luta da classe trabalhadora em prol de sua libertação.

Nosso objetivo principal é a construção de uma sociedade socialista e isso pressupõe a superação do atual sistema sócio-econômico, o capitalismo. No entanto há muitos anos o imperialismo tem promovido uma intensa campanha anti-socialista, pois, à burguesia interessa a manutenção desse estado de coisas.

Como organizar a JSB no seu município?

1. Inicialmente, deve-se convocar uma reunião com os jovens filiados ao PSB local, interessados também em criar um núcleo da Juventude Socialista Brasileira (JSB).

2. Reunir e organizar (de forma democrática) uma Comissão Provisória, com no mínimo 03 (três) integrantes.

3. Entre em contato com a Direção do PSB em sua cidade e com a Direção Estadual da JSB; solicite, preencha e entregue um documento registrando a Comissão. Pronto! A partir daí, a JSB passa a existir (em forma de Comissão Provisória) em seu município.

4. A Comissão tem um prazo de 90 (noventa) dias para realizar o "I Congresso Municipal da JSB". Solicite oficialmente a presença das direções do PSB de sua cidade e da JSB Estadual para acompanhar os trabalhos deste Congresso, que deve ter como pautas principais: propostas de atividades para a JSB em sua cidade; eleição da Direção Municipal da JSB, com no mínino 03 (três) componentes: o Secretário Municipal de Juventude, um Secretário Geral e o Secretário de Finanças.

5. Outras secretarias podem ser criadas conforme a realidade de seu município. Exemplo: Esportes, Cultura, Políticas Públicas de Juventude, Movimento Estudantil, entre outras.

6. Um evento desta importância deve ser registrado em documento específico (Ata), descrevendo todas as deliberações do Congresso, além de contar com a presença da imprensa local.

7. Encaminhe cópias dessa ata oficial para as direções: Municipal do PSB e Estadual da JSB. Solicite um espaço de representação para o segmento jovem junto a Direção do PSB em sua cidade, que será ocupado pelo Secretário Municipal de Juventude, que você e seus companheiros elegeram no "I Congresso Municipal da JSB".

8. Depois de todo este processo organizativo surgem novas lutas, a participação permanente nos espaços públicos, a promoção freqüente de debates socialistas e outras ações que permitam fazer uma JSB cada vez mais forte e atuante junto à juventude e a sociedade. Uma observação importante: os jovens com menos de 16 anos que queiram participar da JSB, devem solicitar.


MODELO 1

Vimos por meio deste convocar os companheiro filiados de idade inferior a 31 anos para participar da reunião de criação da JSB - JUVENTUDE SOCIALISTA BRASILEIRA de ___________________________, a realizar-se:

DIA:____/_____/____

HORA:____________ h___________min

LOCAL:______________________________________________

ENDEREÇO : _________________________________________

PAUTA : 1) Instalação da Comissão Provisória composta por Secretário Municipal de Juventude, Secretário Geral e Secretário de Finanças.

2) Aprovação das propostas referentes aos assuntos do temário.

As inscrições dos interessados em concorrer aos cargos poderá ser realizada durante a reunião.

___________________, ____de ___________de 200 .


______________________________________________

PRESIDENTE DO PSB MUNICIPAL


MODELO 2


Ata de Formação da JSB - Juventude Socialista Brasileira do Municipio de __________________________________________________________________


Aos _____________dias do mês de _____________do ano _____________, (colocar dia, mês e ano por extenso) tendo por local __________________________ , situado a rua _____________, na cidade de _____________, reuniram-se os jovens filiados ao PSB, objetivando formar a Comissão Provisória da JSB, escolher o Secretário Municipal da Juventude, Secretário Geral e Secretário de Finanças, contando com a presença dos Jovens companheiros listados abaixo:


LISTA DE PRESENÇA


Nome Assinatura Endereço


1)

2)

3)

4)

5)

Etc...

Com a palavra o Coordenador da reunião, o Jovem _____________, deu por aberto os trabalhos. Entre as autoridades estavam presentes _____________,_____________. Dando continuidade relatou aos as finalidades que se propõe a JSB, agradecendo a presença dos companheiros. Logo a seguir, fizeram-se ouvir os representantes da direção municipal do PSB que salientaram a importância da formação da Juventude no município. Dando continuidade aos trabalhos o coordenador abriu o prazo de dez minutos para que fossem efetuados as inscrições dos interessados em concorrer aos cargos para a JSB. Findo o prazo estabelecido para inscrições das respectivas chapas, o presidente informou existir _____ chapa(s) inscrita(s). Posto isto foi feita a votação das chapas. Em seguida, o coordenador fez apresentação do (s) candidato (s) e, ao mesmo tempo solicitou um fiscal para acompanhar a votação. Encerrada a votação, o coordenador designou como escrutinador o jovem_____________Terminado o escrutínio foi em seguida proclamada a Comissão Provisória composta pelos seguintes companheiros. Para Secretário Municipal da Juventude_____________, Secretário Geral _____________, Secretário de Finanças _____________, Nada mais havendo à constar, lavrei a presente ATA que segue por mim assinada e pelos demais presentes.



MODELO 3


(Favor encaminhar à JSB-MG
Av: Brasil, 290 CONJUNTO 7 CEP: 30.140-001
Santa Efigenia– Belo Horizonte – MG - Fone: 2555-6001

A/C: Secretário Estadual da Juventude)


______________ , ____ de ________________de 20...



Prezado companheiro,


Sirvo-me do presente, a fim de encaminhar-lhe, inclusa relação de filiados do PSB de ____________________________ para compor a Comissão Provisória da JSB deste Município.

Na certeza de que o pleito será apreciado com especial atenção pela direção, agradeço antecipadamente reiterando votos de estima e consideração.

Cordialmente,

_______________________________________________

(assinar)


Ilustríssimo companheiro

FULANO DE TAL

Secretário Estadual da Juventude do PSB – Minas Gerais


MODELO 4


SECRETÁRIO MUNICIPAL:
TÍTULO DE ELEITOR:
ENDEREÇO: BAIRRO:
CIDADE:
CEP:
TELEFONE RESIDENCIAL:
TELEFONE COMERCIAL:
TEL CELULAR:
E-mail:

SECRETÁRIO GERAL:
TÍTULO DE ELEITOR:
ENDEREÇO: BAIRRO:
CIDADE:
CEP:
TELEFONE RESIDENCIAL:
TELEFONE COMERCIAL:
TEL CELULAR:
E-mail:

SECRETÁRIO DE FINANÇAS:
TÍTULO DE ELEITOR:
ENDEREÇO: BAIRRO:
CIDADE:
CEP:
TELEFONE RESIDENCIAL:
TELEFONE COMERCIAL:
TEL CELULAR:
E-mail:


Sugestões e Propostas de ações para a JSB municipal:

Saúde

A juventude, fase da vida que coincide com o final da puberdade, é uma etapa intimamente associada a processos de interação social. Neste sentido, esta período, principalmente durante a adolescência, se caracteriza pelo alto risco de exposição dos seus membros a situações que coloquem em risco sua saúde e a própria vida, como o consumo de drogas, condução de veículos sem devida habilitação (geralmente em alta velocidade), condições precárias de sobrevivência em locais com alto risco de exposição a vetores de doenças e, muitas vezes, dificuldades de acesso aos serviços essenciais de saúde. Os principais problemas se originam da falta de informação que dificultam ações preventivas.

Ações especificas para a área de saúde:

 Levantamento e mapeamento das políticas e ações referentes a saúde do jovem no município, visando conhecer a realidade atual para um posterior diagnostico;

 Elaboração de programas de saúde exclusivamente voltados aos jovens, abrangendo: DST-AIDS (doenças sexualmente transmissíveis), conscientização quanto ao consumo de drogas, violência no transito, gravidez precoce, entre outras;

 Criação de um Programa Municipal de atenção à saúde do jovem integrado com ações de educação em tempo integral.


Trabalho

A falta de oportunidades de trabalho condizentes com a sua situação e sem exploração é outro problema que afeta a juventude que, em muitos casos, se traduz num constante estado de rico social. É na juventude que se concentra a maior parte das pessoas que procuram incorporar-se ao mercado de trabalho, sendo que a falta de experiência costuma ser o maior obstáculo.

Ações especificas para o primeiro emprego:

 Levantamento e analise das ações voltadas para a inserção do jovem no mercado de trabalho no município;

 Elaboração de um conjunto de medidas que dêem suporte à implementação do “Programa Primeiro Emprego”. Estas ações poderão contemplar áreas como: educação formal, qualificação profissional, empreendedorismo, oportunidades de estagio e integração entre empresa-escolas, linhas de crédito e legislação que darão suporte ao primeiro emprego;

 Desenvolvimento de frentes de trabalho juvenil em áreas de maior carência social;

 Apoio e incentivo à criação de empresas juniores nas faculdades e à expansão do movimento empresa Junior como forma mais apropriada de acesso e de desenvolvimento do jovem no mercado de trabalho;

 Incentivo ao desenvolvimento do empreendedorismo jovem e da formação de jovens lideranças empresariais;


Educação

Necessitamos de um sistema educacional mais justo e igualitário. Uma educação que não se limite a português e matemática, mas que forme cidadãos participantes e questionadores. Neste sentido, é importante que os currículos das escolas sejam adequados a realidade de cada município e contemplem as principais dificuldades enfrentadas pelos jovens no seu dia-a dia.

Ações especificas para a educação:

 Defesa do ensino público, gratuito e de qualidade, com garantia de acesso, permanência e financiamento público em todos os níveis;

 Ampliação e transparência na retomada do financiamento estudantil;

 Elaboração de programas de incentivo à leitura e a difusão do conhecimento, despertando o jovem para noções básicas de cidadania, provocando um maior senso critico de formador de opinião;

 Criação de comitês de democratização do acesso a informática e Internet, diminuindo cada vez mais o abismo criado entre quem detém e não detém acesso e evitando-se a chamada “exclusão digital”;

 Participação de representantes da JSB no Conselho Municipal de Educação;


Cultura

Incentivar os jovens à cultura em todos os aspectos conceituais significa não apenas um grande passo para o desenvolvimento da cidadania, como também relacionar a importante integração entre juventude e a sua imensa capacidade de criar, divulgar e participar ativamente da vida social.

Ações especificas para a cultura:

 Constituição de espaços culturais públicos para a juventude;

 Apoio às atividades culturais desenvolvidas pelo movimento juvenil;

 Garantia da meia-entrada nas atividades de entretenimento com a apresentação das carteiras institucionalizadas dos estudantes;

 Criação de Programas Municipais que incentivem a participação das empresas como promotoras e patrocinadoras de ações culturais para a juventude;

 Realização de eventos que permitam ampla participação de jovens artistas amadores que possam revelar novos valores da juventude no terreno da musica, artes plásticas, teatro, literatura, entre outros, e fazer o intercambio destes com artistas profissionais e o grande publico;

 Criação de projetos das “Oficinas de Artes” no interior do estado em parceria com o Governo Estadual, fomentando a preservação da cultura regional (local).


Esporte e lazer

Proporcionar ao jovem a inteira participação ao esporte e ao lazer colabora diretamente ao pleno crescimento de suas capacidades, não somente físicas como as intelectuais, afetivas e psicológicas, reduzindo assim o contato do jovem aos riscos psicosociais aos quais estão expostos, criando até mesmo oportunidades de profissionalização como desportistas.


Ações especificas para esporte e lazer:

 Viabilizar áreas adequadas a pratica esportiva e de lazer;

 Criação e manutenção de centros esportivos voltados para a formação de atletas jovens de baixa renda, com assistência médica e nutricional. Os centros devem estar articulados a programas de esporte escolar, constituindo-se em locais de aperfeiçoamento;

 Criação de Leis de incentivo ao patrocínio esportivo por parte das empresas.


Meio ambiente

Queremos um ambiente por inteiro e não um “meio” ambiente. É preciso cada vez mais conscientizar os jovens da importância e necessidade de cuidarmos do nosso espaço, deixando um legado de qualidade de vida para as futuras gerações. Neste sentido, defender o desenvolvimento sustentado (apoiado no tripé de desenvolvimento econômico-social-ambiental) é de fundamental importância para que o progresso não se traduza em destruição do planeta.

Ações especificas para o Meio ambiente:

 Mapear as ações desenvolvidas na área de meio ambiente no município;

 Estimular a participação de jovens em geral e dos representantes da JSB nos CODEMA’s- Conselhos de Desenvolvimento do Meio Ambiente;

 Levantar as organizações não-governamentais que trabalham seriamente com a causa ambiental e propor parcerias para a atuação dos jovens;

 Estimular o debate sobre o meio ambiente do município, envolvendo os três setores da sociedade: governo, empresas e organizações da sociedade civil.


Violência e cidadania

A crescente onda de violência que aflige a população brasileira tem que ser seriamente trabalhada, visando um futuro melhor para todos. O jovem sofre no dia-a-dia diversos tipos de violência em casa ou nas ruas e uma das mais importantes é a violência de não poder exercer cidadania, tendo direito à educação, saúde, emprego, habitação, entre outros.

É preciso estabelecer diretrizes para a inserção do jovem na sociedade de maneira saudável, retirando-o do papel de mero coadjuvante para protagonista das ações. É preciso ver o jovem não apenas como receptáculo das ações mas também como fonte de idéias e de possibilidade transformadora da realidade.

Ações especificas para violência e cidadania:

 Combater e punir a discriminação em todos os níveis, promovendo o resgate da história e cultura das minorias sociais do município;

 Criação de programas que proporcionem ao jovem uma atuação social responsável, integrada com a educação formal evitando sua exposição continua a fatores de risco social;

 Incentivar a criação e funcionamento de rádios e TVs educativas promotoras de cidadania;

 Promover ações conjuntas com as autoridades constituídas visando diminuição de ações violentas em espaços públicos, eventos, transito e violência familiar.

 Participação dos jovens na JSB e nos Conselhos Tutelares, de Defesa da Criança e Adolescente e Assistência Social;

 Defender a reforma do sistema penitenciário para que este promova a reintegração social efetiva dos presos, visando um retorno tranqüilo a convivência social;

 Estimular a criação e a participação do jovem nos CONSEP’s – Conselhos Comunitários de Segurança Publica;

 Implantação do OPJ (Orçamento Participativo da Juventude)

 Estimulo à candidatura de jovens a cargos eletivos, exercendo seu papel na construção de uma sociedade com mais dignidade pessoal e justiça social.

Meio passe para os estudantes de Belo Horizonte

INICIA OS TRABALHOS!! A juventude Socialista avança nos trabalhos com relação ao meio passe para os estudantes de Belo Horizonte. Será concerteza uma grande conquista não só para os estudantes de Belo Horizonte mas para toda a Juventude Estadual. A Juventude Socialista estará em Breve em uma reunião com o Prefeito Márcio Lacerda para avançar nos assuntos de interesse da nossa Juventude. Mas o grande empase não é em relação a conceder o meio passe e sim em ressarcir o desfalque para as empresas Rodoviárias. Por isso a nossa Juventude está trabalhando na construção de um projeto consistente e sustentável. Você também pode fazer parte desta conquista! Se você tiver alguma sugestão nos envie sua opnião é muito bem vinda!! Juntos construíremos um futuro mais justo e conquistaremos mais espaço no cenário politico para nossa Juventude!!

Raphael Carlos

Secretário Estadual de Meio Ambiente JSB-MG
(31) 8771-0798
MNS: raphaelcarlos.reis@hotmail.com

sexta-feira, 19 de março de 2010

Modos da Juventude

A defesa é natural, cada qual parece o que nasce, cada qual sua classe e seus estilos de agradar. Uns nascem para trabalhar, outros nascem para brigar, outros vivem de intriga, outros de negociar, outros vivem de enganar, o mundo só presta assim, é um bom outro ruim e não tem jeito pra dar. Pra acabar de completar, quem tem o mel dá o mel, quem tem o fél dá o fel, quem nada tem nada dá.

Como a juventude é democrática e não idealista por natureza, temos muito a oferecer, se unidos pela mesma causa, com muito trabalho, umildade para escutar aqueles que tem muito a nos oferecer, chegaremos ao nosso ideal tão sonhado, melhor que sonho é o que estamos fazendo e colocando em prática.

Vamos lá gente, acordem, o futuro de amanhã pertencem a nós. Peçamos orientação a Deus, para que possamos fazer as coisas certas e crescer dia após dia.

Diego Landim
Secretário de Movimento Estudantil - JSB MG

quarta-feira, 17 de março de 2010

Os 3 poderes - Juventude ligada

Para muitos, pode ser cansativo essa informação, ou até mesmo repetitivo; mas não podemos cansar de atuar na formação política de nossos eleitores e nos dias de hoje, precisamos saber esses detalhes para saber em quem votar e saber de quem cobrar depois.

Com certeza todos já ouviram falar dos três poderes que rejem o nosso país; que são eles: Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário. Mas muitas das vezes, fica um pouco confuso qual o papel e a importância de cada um no nosso meio Politico. O meu Objetivo é fazer uma breve explicação de cada Poder, de forma bem simples e objetiva para que você possa entender e compreender o papel de cada um.Ok! Então vamos lá.!

PODER LEGISLATIVO: Tem a função de Legislar, ou seja, fazer projetos de Leis. No nosso país, o poder legislativo é composto pela câmara dos Deputados e do Senado Federal. Os estados brasileiros também possuem o poder legislativo (composto pelos Deputados Estaduais), assim como os municípios (composto pelos Vereadores). Além de fazer as leis, fiscalizar, cabe também aos integrantes do poder Legislativo aprovar ou rejeitar as leis propostas pelo Poder Executivo,E são eles os legítimos representates das classes.

PODER EXECUTIVO: Tem o papel de executar as leis já existentes e de implementar novas leis de acordo com a necessidade do estado e do povo. O poder Executivo é Dividido em três camadas as quais são lideradas por um representante. A federal (representado pelo Presidente da República), Estadual (representado pelo Governador) e a Municipal (representada pelo Prefeito). Cada um deles possui seus auxiliares que são Vices, Ministros e secretários.

PODER JUDICIÁRIO: É exercido pelos Juízes e possui a capacidade e a prerrogativa de julgar, de acordo com as regras constitucionais e leis criadas pelo poder Legislativo. É também a autoridade maior em uma cidade representado pela pessoa de um Juíz ou Juíza.


Rafael Carlos Gomes dos Reis
Secretário de Meio Ambiente - JSB/MG

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Nesse ponto eles não discordam.

Quando Fernando Henrique Cardoso assumiu a Presidência da República em 1995, o então Ministro das Comunicações, Sérgio Motta, disse que os tucanos iniciavam um reinado que deveria durar pelo menos 30 anos. Com a derrota de José Serra para Lula em 2002 o sonho foi abreviado por 22 anos.


Se a campanha dos candidatos a presidente pode mudar de acordo com os adversários e as circunstancias de cada eleição, os bons governantes se fazem sempre da mesma maneira. Cabe-lhes demonstrar firmeza para demonstrar prioridades e competência para reunir aliados que permitam fazer avançar suas propostas. Acho que Lula aprendeu bem essa lição, ficou esperto e hoje dá aula desse assunto.

Em 2002, vitorioso numa campanha histórica, que pela primeira vez colocou em palácio um candidato de origem operária, líder e fundador de um partido de esquerda, independente dos esquemas tradicionais de poder no Brasil, o presidente Lula definiu seu governo pela capacidade de arrumar a economia e botar o país na rota do desenvolvimento. Lula foi eleito de forma consagradora, com maioria em todos os segmentos do eleitorado: região, renda, educação, gênero. Uma vantagem inédita na história das eleições brasileiras. Lula recebeu o voto firme de um país exausto pela economia parada, empobrecido com o desemprego em alta, inconformado com as desigualdades.

Há quem insista em encarar a ascensão de Lula como um acidente antropológico, mas a verdade é que em uma das mais longas e democráticas campanhas da história, a apuração mostrou que em 2002 se assistiu ao desfile de uma unanimidade. A liderança de Lula em nenhum momento foi ameaçada, e se disputa houve, era apenas pelo segundo lugar.

O Brasil naquele momento era pró-Lula em suas camadas profundas, animadas por um vigoroso movimento “Fora FHC”. Foram milhões de brasileiros que riram das alianças partidárias que transformaram a “verticalização” em piada. Lula não ganhou no primeiro turno mas passou o segundo turno sem que o eleitorado tivesse ânimo de ouvir o que o adversário José Serra tinha a dizer.

Os últimos dias dessa campanha produziram cenas pitorescas. No Ceará o candidato tucano ao governo do estado disputava com o concorrente petista a condição de aliado de Lula. Na Paraíba, onde não havia nem tucanos nem petistas, os dois adversários apoiaram Lula. Assim também foi no Paraná. Em São Paulo o tucano Geraldo Alckmin pedia votos para o Palácio dos Bandeirantes, mas não indicava seu candidato ao Planalto. Lula ainda foi auxiliado por uma opinião pública indignada e vigorosa, que submeteu a maquina pública a um grau inédito de vigilância, impedindo qualquer ato que pudesse beneficiar o candidato do governo, até medidas justificáveis foram adiadas porque poderiam ser vistas como auxílio indevido. O mesmo não acontece com Dilma Roussef agora.

A mais importante missão do empresário José Alencar foi cumprida antes da vitória. Ao vice-presidente coube a prova de que o ex. sindicalista Lula havia mudado, seria capaz de negociar além dos limites dos partidos de esquerda e já não mais assustava os empresários.

Na pele de Lulinha paz e amor, personagem sem contradições e sem conflitos, o presidente ganhou a eleição pronunciando declarações simpáticas na forma e evasivas pelo conteúdo. O programa de governo apresentado tinha dois pontos: “vamos negociar” e “vamos discutir”. Tudo indica que a receita deu certo.

Em 2006 Lula derrotou o tucano “Alckmin” que no meio da campanha virou “Geraldo” tentando agradar o povão e sequer se deu ao trabalho de aparecer nos debates televisivos. Quanto ao mensalão e regra era dizer sempre: “não vi nada”. Deu certo mais uma vez e o presidente conta hoje com o apoio de mais de 80% da população. Um índice de aprovação tão surpreendente que chega a ser perigoso a ponto de transformar a eleição em uma mera aclamação desprovida de qualquer debate político.

Para as eleições de 2010 o Planalto tenta a qualquer custo desestimular outras candidaturas e impor a polarização entre Dilma e Serra, para que o povo julgue apenas os 8 anos de FHC e os 8 anos de Lula, o Brasil do passado e o Brasil do presente. Mas aí fica uma pergunta: quem vai debater o Brasil do futuro?



O PT tem ao seu lado o PMDB. Esse já está no poder a mais de 30 anos, nunca deixou de estar no poder, seja qual fosse o governo. Mas não pretendo fazer aqui uma critica. Acho que não poderia ser diferente, um gigante como o PMDB não poderia fazer oposição a nenhum governo, seria um caos do ponto de vista de governabilidade. Com o maior número de deputados federais, senadores, governadores, deputados estaduais, prefeitos e vereadores o PMDB é também o que mais tem cargos no Governo Lula. Só ministérios são seis, o que leva o PMDB a administrar 53% do orçamento da união.


Ciro Gomes, por exemplo, que mudou seu domicilio eleitoral para o estado de São Paulo, ao mesmo tempo em que seu irmão o governador do Ceará Cid Gomes e o presidente nacional do PSB, governador Eduardo Campos, vem recebendo pressões pela desistência de Ciro a Presidência da República. José Dirceu, que nunca saiu de cena, tem viajado o Brasil desconstruindo todas as investidas do PSB e incumbido da missão de fazer o alçapão se abrir sobre os pés de Ciro Gomes para que ele saia de uma vez por todas da cena política. Tarefa que só pode ser cumprida por alguém extremamente frio e com habilidade, para que não haja traumas, dores, muito menos desgaste político.

E a Senadora Marina Silva?

Marina é uma militante histórica do PT, hoje no PV, uma das maiores autoridades mundiais quando o assunto é meio ambiente e pode dar contribuições fantásticas no debate nacional sobre, por exemplo, a polêmica das licenças ambientais e sobre a preservação da Amazônia. Tentar silenciá-la é um atentado grave a democracia.


Não vejo problemas no PT ficar no poder por 30 anos. Por mim, pode ficar até por mais tempo desde que apresente um projeto para o Brasil dos próximos 30 anos e discuta ele com a sociedade e com os adversários políticos em um debate civilizado e democrático digno da nação brasileira que o presidente Lula ajudou a construir.


Quem chegou ao Planalto em uma eleição democrática, o que muitos militantes do PT achavam que só seria possível pegando em armas, e agora acha que deve lá permanecer por 30 anos deve apresentar suas razões através de um projeto debatido amplamente e abertamente.



Se assim não for. Podemos afirmar com segurança: o PT gostou do poder. E agora, como os outros, passou a ambicionar o poder apenas pelo poder.

Wellington Silveira
Secretário de Juventude - JSB/MG

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Juventude: Um paradoxo entre vida e morte.


É na juventude que uma sociedade deposita as maiores esperanças de vivermos em um mundo melhor no futuro, por outro lado, é também neste segmento, de 16 a 29 anos, que infelizmente encontramos mais ocorrência dos principais problemas da sociedade contemporânea.

Entre os jovens estão os maiores índices de usuários de álcool, cigarros e drogas; causadores e vítimas de acidentes de trânsito. Também são os jovens os que mais sofrem com o desemprego; e os que entram para a criminalidade.

Esta grande contradição entre a esperança nas novas gerações e a triste realidade urbana encontrada nas estatísticas, gera a necessidade de que o poder público e a sociedade civil definam planos e ações direcionadas a proteger, capacitar e gerar oportunidades aos jovens, de modo a mudar estes números. Este conjunto de planejamentos e ações dos governos com o apoio da população são as políticas públicas para a juventude, ou P.P.J.

Considerar as políticas públicas para a juventude ações direcionadas somente a um segmento da sociedade ou grupo de interesse, é um equivoco, pois os jovens podem ser considerados os grandes responsáveis pelo futuro de todos nós, sendo que as ações geram conseqüências em toda comunidade. Beneficiando toda a família, melhorando a qualidade de vida nas cidades, diminuindo a criminalidade e contribuindo para a economia em geral.

Falar em PPJ é tratar de desenvolvimento de ações direcionadas em diversas áreas de interesse público. Por exemplo, na área de educação, possibilitando que as escolas, além do conhecimento formal, gerem capacitação e profissionalização aos estudantes. Outro exemplo são os incentivos ao esporte por meio do apoio aos atletas, construção de centros esportivos e parques, estas políticas públicas para a juventude na área de esportes geram excelentes resultados para a saúde e para a qualidade de vida.

Além das políticas que atingem as principais áreas de serviço público de uma cidade, como educação, saúde, empregabilidade e cultura. As PPJ também abrangem assuntos novos de grande relevância como, por exemplo, as políticas de inclusão digital, que beneficiam todas as pessoas interessadas em adquirir conhecimentos sobre informática e internet, qualificando-as para o estudo e mercado de trabalho.

Diante de tudo é necessário que, antes que as condições dos jovens se tornem críticas e as conseqüências irreversíveis, ocorra um grande pacto entre os governos, os políticos, a iniciativa privada, organizações não governamentais e a sociedade em geral para elevarmos as políticas públicas para a juventude a um lugar de destaque no debate político brasileiro, ocupando definitivamente seu espaço no planejamento das cidades, Estados e do governo federal.

Conscientizando ainda, que além de prevenir gastos reparatórios com o poder judiciário, com aumento da criminalidade, construção de presídios e perda da qualidade de vida, os custos com o desenvolvimento de políticas púbicas para a juventude, não representam gastos e sim um grande investimento no futuro do Brasil.

WELLINGTON SILVEIRA
Secretário de Juventude